DICAS PARA RODAR COM GARUPAS - Blog Corse -
Back
Frete Grátis nas compras acima de R$ 600,00
Envio imediato
Troca grátis
Parcelamento em até 10x

DICAS PARA RODAR COM GARUPAS

Garupa Inexperiente

Quem já rodou com uma garupa inexperiente, sabe que é, no mínimo engraçado seja, por aquelas batidas de capacete a cada frenagem ou desnível ultrapassado, até o ponto de ser inviável rodar por muito tempo com alguém que não está habituado a rodar numa motocicleta como carona.

Não à toa, muitos motociclistas não transportam garupa em suas motos.

Seja pelo tipo de motocicleta que não é muito propícia como em motos esportivas, por exemplo, onde o garupa fica projetado contra o corpo do piloto ou em motos em que o garupa fica muito elevado, alterando demais o centro de gravidade da motocicleta.

Por questões de acréscimo de peso da motocicleta principalmente para motos mais altas ou pilotos de porte físico menor podem sofrer mais para equilibrar a motocicleta em manobras a baixa velocidade.

Em todo caso, numa necessidade de carregar o garupa ou mesmo para poder incluir alguém em seus passeios de moto, sempre é possível com algumas instruções básicas, rodar de maneira segura e confortável com um garupa.

garupa

A melhor atitude é conversar com o garupa e explicar como é a sensação de estar sobre a moto – sem assustá-la, claro – já que é comum certa proximidade com outros veículos no caso de circular pelo corredor.

Combinar alguns sinais, como um toque no ombro, por exemplo, no caso de precisar falar com o piloto ou pedir para descer da moto, também ajuda.

Instruir a vestimenta ideal também é imprescindível

Você estar 100% equipado mas sua garupa não na eventualidade de um acidente você não quer se sentir culpado por lesões do seu/sua parceira de viagem.

Combinar quando o garupa pode se movimentar sobre a moto e para fora dela.

O piloto quem deve autorizar o garupa a subir ou descer da moto para estar preparado e equilibrado nesse momento evitando um tombo besta.

A dica vale também para quando estiverem em velocidade de cruzeiro, o correto é nunca fazer movimentos bruscos sobre a moto para que não retire o equilíbrio do equipamento principalmente em motos pesadas – mais de 300 quilos – , então não convém agir com ansiedade para não desequilibrar o piloto.

 

garupa2

Mandatório manter contato com as pedaleiras

Ponto de fixação sobre a moto seja ele, a alça da moto ou o próprio piloto pois, num buraco, desnível, aceleração ou frenagem brusca, se não estiver apoiado pode causar uma queda.

garupa 3

Quando se trata de orientação, o mais óbvio é sempre o mais importante. Pedir para a garupa fazer poucos movimentos durante o passeio é essencial.

Alguém gesticulando na garupa da sua moto pode comprometer o equilíbrio e, inclusive, confundir os motoristas em volta. Afinal, os sinais de mão também fazem parte da sinalização de trânsito.

No caso de um iniciante na arte da garupa, ele ou ela pode pensar que deve colocar sempre um pé no chão – assim como você piloto – a cada parada. O ideal é deixá-lo ciente de que isso não é necessário e pelo contrário, que será perigoso.

Por mais que seja seu hábito andar próximo ao limite de velocidade permitida e trabalhando os giros da moto para que ela tenha o melhor desempenho possível, com alguém na garupa isso tem que mudar.

Mesmo que o passageiro seja frequente, pilotar tranquilamente, além de mais seguro, é sempre a melhor maneira de garantir que os dois aproveitem o melhor do passeio.

Dicas Valiosas

Por causa do peso extra, a sua moto tende a ter respostas mais lentas e isso fica mais evidente no momento da frenagem.

Quando se está com garupa, a moto precisa de mais espaço para a frenagem, por isso, ela não irá parar de imediato.

Escolha a forma de condução mais previdente. Antecipe os movimentos, freie antes e acelere com menos vigor.

E para evitar as situações de cabeçadas entre capacetes que são frequentes em motocicletas que projetam mais o garupa contra o piloto, vale indicar que a condução da motocicleta é uma arte corporal.

O abdômen e as pernas fazem o ancoramento do garupa e é necessário o equilíbrio sobre a motocicleta para que cada movimento de acelerar e frear, não faça dele um pendulo que fica sendo projetado pra frente e pra trás batendo contra o piloto.

Um leve deslocamento da cabeça para a lateral do piloto pode faze-lo estar ciente do transito a frente e se precaver e antecipar quando haverá uma frenagem ou aceleração podendo portanto ficar mais estável.

 

garupa 4

 

Por fim, nas curvas!

 

garupa 5

Sempre o momento mais crítico na condução, a premissa “faça o que eu fizer” é sempre bem vinda!

Para que ele ou ela incline o corpo da mesma maneira que o piloto, mas isso não quer dizer que ele deve tentar encostar o joelho no chão ou se projetar deslocando o corpo para fora do banco.

A dica é: se a curva for para a direita o garupa deve olhar por cima do ombro direito do piloto e curva pra esquerda, olhar por sobre o ombro esquerdo do piloto, pronto, já está ajudando a manter o eixo de gravidade no lugar correto.

E você já passou algum perrengue na garupa de alguém ou com algum garupa seu?


Deixe um comentário